22 de novembro de 2011

6 de novembro de 2009

RESENHA POR HELENA CALDAS

Morte no Litoral: um crime quase perfeito.

A autora Nadia São Paulo, designe em Modas por formação, possui uma verve artística muito forte, além de literata é pintora e estilista, sua obra objeto da resenha transita pelo engenhoso mundo do crime, com espetacular nuances de suspense envolvendo o poder do capital, que compra, que suborna. A competência de um experiente e honesto investigador e personagens diversos com seus desvios de caráter, inescrupulosos. Ainda existe aqueles doentes de rancor por terem sido rejeitados ou maltratados e não souberam lidar com as diferenças ou a opção do outro.
A autora mantém a mesma linha de escrita daqueles que foram seus autores prediletos, como: Agatha Christie, Sidney Sheldon, utilizando-se do suspense, terror e policial, entretanto, não deixou de imprimir sua marca, o seu modo de contar a historia. Muito boa à capacidade do ser humano com suas singularidades.
Trata-se de uma leitura que embora possua características policial e suspense é bastante leve e nos aguça a curiosidade a cada capitulo, confesso a grata surpresa no último capítulo quando se deu à revelação do personagem transgressor, que engendrou a trama criminosa.
Toda a estratégia envolvendo a engenharia desses crimes nos dá uma percepção de que o ser humano não pode em momento algum ser subestimado. Viu-se que alunos tornaram-se professores, alunos estes que, embora tenham freado os seus ditos “professores” em suas atitudes gananciosas, voluntariosas e por que não dizer: “criminosas”, passaram a cometer os mesmos crimes com igual requinte de crueldade, nos deixando a impressão que a historia continua.

* Secretária Executiva, Pós Graduanda em Gestão Empresarial, Marketing e Gestão de Pessoas, pelo Centro Universitário da Bahia- FIB – helsantos48@bol.com.br.